Hora de desacelerar

Descubra o que fazer para evitar a ansiedade nos últimos momentos que
Publicado em 22/06/2007 – 02:00
Do Universia: http://ww1.universia.com.br/materia/materia.jsp?materia=2475

Além do frio (que frio?) e das festas juninas, esta época do ano traz para os pré-universitários uma preocupação em especial: o vestibular. Após meses de estudo e dedicação, enfrentar a maratona de provas que ocorrem, geralmente, nos finais de semana exige do candidato muito preparo físico e emocional, fatores que, segundo especialistas, nem sempre conseguem ser bem administrados pelos jovens. Por esta e outras razões, o melhor a fazer na maioria dos casos é desacelerar o ritmo de estudos e procurar atividades para relaxar e desligar da tensão neste momento de decisão.

De acordo com o coordenador do Anglo (Cursinho Pré-vestibulares) de São Paulo Ernesto Birner, o grande problema do pré-universitários é a falta de apoio psicológico para superar a tensão nessa época do ano. “Ao contrário do aluno que não estudou, o jovem que se preparou tende a ficar muito ansioso, principalmente porque, com 18 ou 19 anos, ele ainda não sabe lidar com a incerteza. Nesse caso, administrar a dúvida sobre sua aprovação torna-se muito difícil”, explica.

Na opinião da Psicóloga da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), Daniela Schneider, controlar essa ansiedade é uma das principais dificuldades dos pré-vestibulandos. “Essa tensão que absorve a vida dos candidatos nos últimos dias antes da prova é a principal responsável pelo estresse e pelo mal desempenho no vestibular”, declara. Segundo Daniela, o aluno que tem um perfil nervoso e ansioso deve passar longe dos livros nos últimos momentos antes da prova. “O ideal seria que esse aluno, tenso, procurasse relaxar tanto com atividades físicas como em qualquer outro tipo de entretenimento que disperse seu pensamento da avaliação”, diz.

Medo de errar

Muitas vezes, os vestibulandos se preocupam tanto em saber um pouco de tudo que acabam perdendo o objetivo principal de seu estudo, ou seja, certificar-se dos conhecimentos necessários para realizar uma boa prova. Neste caso, Birner explica que tentar saber muito de todas as disciplinas acaba sendo um viés para o aluno. “O candidato precisa se conscientizar de que ele não precisa saber tudo, mas, sim, valorizar o que sabe”, destaca.

Para os jovens que não conseguem se desligar do vestibular e preferem dar uma lida no material antes da prova, os professores concordam que fazer uma pequena revisão, sem qualquer tipo de cobrança, pode ser útil para deixar o aluno mais tranqüilo. “Há alunos que simplesmente não conseguem deixar de estudar e sentem-se mais confiantes revendo as apostilas. Neste caso, aconselho-os a lerem os livros, porém sem neurose”, ressalta Birner.

Entretanto, a psicóloga Daniela afirma que caso o candidato utilize os últimos dias antes da prova para “cair sobre os livros” imaginado que por meio deste método conseguirá um melhor desempenho o resultado pode ser frustrante. “De maneira geral, os últimos dias que antecedem o vestibular não definem o desempenho do aluno. O que conta é sua preparação ao longo do ano”, afirma.

Neste contexto, para tentar se distrair, os professores ressaltam que os pré-vestibulandos podem praticar esportes, sem excesso, e procurar alguma outra diversão que promova um descanso antes das provas. “Tudo que o aluno precisa fazer é relaxar. Seja assistindo um filme, lendo um livro ou praticando esportes”, diz Daniela.

Porém, para as práticas esportivas, Birner faz uma ressalva: “Nada de excessos para não correr o risco de lesões ou contusões. A atividade física é válida sim, desde que o aluno tenha um preparo para isso”, afirma o professor.

Apoio dos pais

O convívio com familiares pode se tornar um tormento para os vestibulandos nesta época do ano. Segundo Birner, isso ocorre porque, em geral, os pais têm o costume de agir de duas formas equivocadas em relação a essa etapa da vida dos filhos: de forma rígida ou omissa. “Seja aceitando tudo que o filho faz, sem se aprofundar em suas preocupações, ou fazendo cobranças e ameaças caso seu desempenho nas provas não seja satisfatório, os pais estão prejudicando os filhos. Quem nunca ouviu um pai dizer: `Se você não passar no vestibular ano que vem vai trabalhar´?”, questiona Birner.

Essa postura, na visão dos professores, mesmo que tenha o objetivo de incentivar, acaba prejudicando os jovens. “Quanto maior for a situação de ansiedade, mais o aluno vai se prejudicar. Neste ponto, os pais desempenham um papel fundamental de apoio”, destaca Daniela. Segundo Birner a grande maioria dos pais não sabe lidar com o “monstro do vestibular”. “Não conversar sobre o tema ou fazer de conta que não ele não é um problema é uma postura equivocada adotada pela grande maioria dos pais”, ressalta Birner.

Segundo os especialistas, durante essa fase da vida do jovem, os pais também são parceiros para outras preocupações necessárias que acabam passando despercebidas por grande parte dos pré-vestibulandos, uma delas é a alimentação. “A alimentação deve ser muito balanceada nesta etapa. Ninguém melhor que os pais para ficar de olho nisso”, afirma Daniela.

Já o professor Birner declara que os pais devem prestar atenção aos horários dos filhos. “Controlar os filhos para que eles durmam cedo e não vão a festas na noite anterior à prova é uma maneira dos pais ajudarem em seu desempenho”, diz.

Na visão de Daniela, outro fator que pode ficar sob responsabilidade dos pais é garantir que os filhos cheguem a tempo aos locais de prova. “Principalmente em cidades como São Paulo, onde o trânsito é caótico, é importante que os pais possam viabilizar o transporte evitando que o candidato viva qualquer situação de estresse”, informa Daniela. Neste caso, Birner destaca ainda que, conhecer o local das provas um dia antes do vestibular pode ser um fator positivo para deixar o aluno mais relaxado. “Conhecer a sala, saber o local certo onde será realizada a prova, pode deixar o aluno mais tranqüilo para a avaliação”, declara o professor.

Confiança e pensamento positivo

De acordo com os professores, apesar de não haver uma fórmula específica para que o aluno consiga manter a calma e se sair bem, o que o pré-vestibulando pode fazer é tentar relaxar o máximo possível e encarar o desafio do vestibular como mais uma etapa em sua vida acadêmica.

“Nessa fase da vida é fundamental que o aluno tenha um projeto em mente. Saiba onde quer chegar e, acima de tudo, construa caminhos para atingir seus objetivos. Entretanto, é preciso que ele defina suas prioridades e não encare essa etapa como o fim do mundo”, destaca Daniela.

Já o professor Birner enfatiza que nesse período da vida do jovem, ou seja, de decisão, o aluno deve se concentrar em seus pontos positivos e fundamentar seus objetivos no conhecimento que ele tem, e não nos que ainda pretende adquirir. “É muito importante reforçar que o aluno não deve hipervalorizar o que não sabe. Afinal de contas, ninguém sabe tudo e ninguém precisa saber tudo”, finaliza.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s