Nervosismo na Hora do Vestibular

Entrevista concedida ao Jornal Bela Aliança por Cristian Stassun (23/out)

O período de realização das provas dos vestibulares está chegando. A ansiedade toma conta dos jovens que vão enfrentar o desafio de buscar uma vaga para ingressar no Ensino Superior. Em entrevista ao Jornal Bela Aliança, o Mestre em Psicologia e Professor da disciplina de Orientação Profissional do Colégio Energia, Cristian Stassun, dá dicas para os estudantes que estão vivenciando esta fase.

Porque os estudantes ficam ansiosos no período que antecede o vestibular?

Essa pergunta é muito importante. E é direcionada principalmente aos pais. Veja bem, Jonas, estamos tratando de expectativas, antecipação e pré-ocupação. Sinta esse jovem. Temos casos que a família fica ameaçando o filho de que se não passar no vestibular, vai ter que se sustentar, vai ter que arrumar um emprego e se virar. Como se ele tivesse uma chance única de passar. Só aquele vestibular. Temos casos de pais que ficam comparando seu filho com outros filhos, valorizando somente desempenho (resultado) e não empenho (esforço) dele, e muitas vezes misturando seus projetos de vida fracassados sobre a vida dos filhos. O pai que sempre sonhou em ser médico e não conseguiu, agora quer que seu filho enfrente 40 candidatos por vaga numa Federal e ache fácil. Como a maioria dos leitores desse jornal são pessoas com idade acima dos 20 anos, é fundamental explicar que o comportamento deles influencia diretamente no resultado do seu filho. Coloca-se uma carga de energia enorme em cima de coisas e problemas que nunca vão acontecer. Pesquisas mostram que 90% das coisas que nos pré-ocupam nunca acontecerão. E cada vez mais essa carga de preocupação recai sobre os vestibulandos.

Existe algum segredo para o jovem não ficar nervoso na hora da prova?

Eu falei até agora sobre os pais, mas agora tratamos dos alunos. O que faz eles ficarem nervosos em primeiro lugar é o medo do fracasso e a sensação de fragilidade num sistema de ingresso a Universidade que não mede só a qualidade do conhecimento do aluno. Muitos dizem que o equilíbrio emocional é responsável por 50% do resultado do vestibular, motivo de muitos Best-Sellers nos últimos anos sobre Inteligência Emocional. Porém, o lado emocional pode tirar 100% a chance de sucesso em vestibulares concorridos como a UFSC, onde a disputa é por décimos de pontos. Nesse contexto, outros medos aparecem. Medo dos concorrentes, de não saber o conteúdo ou não dar tempo de realizar a prova, insucessos anteriores e imprevistos que podem acontecer no dia da prova, como os lendários atrasos e “brancos”. Entre outros fatores vem o sentimento de vergonha perante os outros com o resultado, auto-exigência, despreparo, dificuldade do vestibular e problemas crônicos. No colégio fazemos uma avaliação individual de cada caso.

É possível manter o equilíbrio emocional diante do desafio de entrar na faculdade?

Sim, preste atenção em atitudes que os alunos, desde já podem tomar frente a esses problemas:

-Tenha bem definido seu curso, universidade e vestibulares a fazer no início do 3º Ano;

-Tenha um planejamento de estudo bem feito e cumpra-o, cuide com o boicote dos seus estudos, sempre inventando outras coisas para fazer, como Msn e Orkut.

-Treine sua emoção com provas de vestibulares anteriores cronometradas, simulados do colégio, experiência com o vestibular já no segundo ano e análise de todos os fatores psicológicos envolvidos como: pressão, insegurança, depressão, pensamentos derrotistas, dificuldades de concentração e aprendizagem.

-Tenha atividades programadas e permanentes como: exercício físico, atividades de lazer, atividades de compensação aos dias muito exigentes, exercícios de respiração e alongamento, horários de sono e descanso, faça atividades ligadas a música e arte, mantenha uma disciplina e rotina, e busque se alimentar corretamente.

– Liste seus pontos positivos e negativos e aja sobre eles o quanto antes. Converse com seus pais e amigos buscando soluções.

– Compartilhe seus problemas com amigos de qualidade, familiares ou pessoas que passam pelo mesmo problema, e se precisar procure a ajuda de um psicólogo.

Qual o trabalho que você desenvolve no Colégio Energia?

Eu dou aula para o 2º Ano, e apresento para eles todos os desafios que vão atingir eles nos próximos anos. Desde a escolha de um curso universitário (profissão e carreira), o planejamento de estudos, a estratégia para o vestibular e decisão de universidade, questões emocionais para realizar a prova, preparação para o primeiro emprego e noções de empreendedorismo. Meu objetivo é os fazer chegar no 3º Ano com uma meta. Curso e Universidade. A partir desse ponto que se motivem a estudar e lutar por um desafio. Para os demais alunos do 3º ano e cursinho temos a mesma assistência, porém individual.

Qual a sua formação acadêmica e profissional

Psicólogo de Formação, especialização em Psicologia Clínica e Mestrado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Porém, como sabemos, diploma e título é apenas a burocracia que o autoriza para fazer algo. A formação está muito além do que a universidade oferece. A experiência, o comprometimento e a ética estão muito além disso.

Deixe seu contato para os leitores e estudantes interessados em se prepararem melhor para esses desafios.

Podem entrar no site www.cristianstassun.com.br e pelo msn cristianccss@hotmail.com.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s