Confira as Melhores Estratégias de prova (Somente para Vestibulandos TOP)

Por: Vergilius Neto, turma 96 (ingresso em 2008) da FMUSP.

Olá meus queridos futuros colegas de profissão, estou mandando aqui a descrição da técnica que eu usava para fazer simulado tipo teste de 90 questões de duração de 5 horas (simulados da primeira fase da FUVEST).

Sabe-se como é forte a competição entre os vestibulandos “de elite” que concorrem ao curso de medicina. Tendo isso em vista, fica bem claro que, além do preparo teórico, estratégias técnicas podem render aqueles pontinhos a mais que fazem toda a diferença.

Claro que “cada um é cada um” e que, portanto, uma única estratégia pode ser válida para uma pessoa e não para outra. Apesar disso, resolvi mandar a técnica que eu usava, pois eu a desenvolvi ao longo da minha experiência de dois anos de cursinho, procurando ajustar à maneira como minha cabeça funcionava as inúmeras dicas diferentes que vários professores davam a respeito de como fazer os simulados.

Essa técnica foi o que fez a diferença para mim (os pontinhos a mais que eu falei anteriormente), pois provas teste eram a minha especialidade e a minha aprovação na FUVEST deveu-se aos 83 pontos (de 89) que eu alcancei na primeira fase do vestibular (já que a minha segunda fase não me permitiu tanto destaque).

O texto é longo, mas altamente recomendável para aqueles que se julgam com bom preparo teórico, mas sempre perdem alguns pontinhos nos simulados devido a “falhas técnicas”, como erros de bobeira, de falta de concentração, de falta de tempo, etc.

//

Vamos lá então:

Princípio básico: todas as 90 questões valem exatamente a mesma coisa, não tendo, portanto, vantagem nenhuma acertar uma questão difícil se, para isso, ser obrigado a errar várias fáceis.

Metodologia: mapear a prova, fazendo uma triagem inicial e resolvendo as questões seguindo o seguinte critério:
Mais rápidas —> mais demoradas

NOTE A SUTILEZA: Mas rápido NÃO significa NECESSARIAMENTE, mais fácil. Agora, de fato, uma questão muito difícil é mais demorada de se fazer. Uma questão demorada, entretanto, pode ser fácil talvez.

Então, a maneira que eu fazia era assim:

Primeira leitura (deve demorar cerca de 3 horas e meia), da questão 1 a 90 (nessa ordem):
leia a questão (todas elas, não pule antes de ler!!) e resolva-a se a resposta ou a solução dela vier imediatamente na sua cabeça. Mesmo que seja uma questão difícil, sofisticada, mas que o seu bom preparo te permita a resolução imediata.

Quais quer questões diferentes dessas, faça da seguinte maneira:

– Questões em que você ficou em dúvida entre duas ou mais alternativas:
faça um risco forte e visível nas alternativas já descartadas, para que você não perca tempo lendo-as novamente. Marque o número da questão com um circulo.

– Questões de exatas que você sabia a resolução, fez as contas e chegou em uma resposta que não batia com nenhuma das 5 alternativas:
NÃO refaça as contas mais de 2 vezes. deixe as contas anotadas no rascunho de maneira organizada, para que possam ser revisadas POSTERIORMENTE. Marque o numero dessas questões com um quadradinho

– Questões de exatas que você começou a tentar fazer e viu que chegou em números muito absurdos (tipo 2394234×382393), ou com um enunciado tão complexo que você nem entendeu o que ela pede, mas acha que no fundo é capaz de fazer se entender e pensar com calma, ou ainda que você acha que manja a teoria, mas não está sacando a saída (tipo, traçar uma paralela, chamar tal lado de X, algo assim): pule, mas deixe marcado o numero da questão com uma “estrelinha”.

– Questões para as quais você não faz a menor idéia da resposta (serão raras para um “vestibulando-top” como você): pule e marque o numero delas com um triângulo.

Ao fim da primeira leitura, tendo-se passado cerca de 3 horas e meia (sempre de olho no relógio!), passe as respostas para o gabarito. Lembre-se, você está passando respostas que você tem certeza que acertou, que só errou por distração (supondo-se maior concentração possível, serão mínimos esses erros, na pratica você está literalmente garantindo a quantidade mínima de pontos que sua capacidade permite que você faça, ao passar as respostas dessa primeira leitura para o gabarito).

Levante, vá ao banheiro, faça xixi, lave o rosto, beba água na volta para a sala, coma alguma coisa (se quiser)…esse período de passar as questões para o gabarito e fazer a breve pausa te tomarão cerca de 30 minutos (descanso adequado para o seu cérebro). Isso significa que você começará a segunda leitura quando tiverem sido passados cerca de 4 horas de prova, sobrará uma ainda. Mas relaxa! a maioria das questões já foram feitas…devem ter sobrado umas 20 para fazer, que você já leu e já pensou a respeito. Uma hora é o suficiente.

Segunda leitura: resolução das questões marcadas com círculos, quadrados e estrelinhas.

Primeiro as marcadas com círculo (aquelas que você ficou na dúvida):

Leia atentamente as alternativas. Existem boas chances de você perceber o erro das alternativas que não são a certa e que você não tinha percebido antes, por desatenção (por exemplo: “Ta dizendo Dom Pedro I e não Dom Pedro II!!!!”).

Se isso acontecer, marque de uma vez a resposta que você chegou. Se você tiver CERTEZA absoluta que as 4 alternativas que não são a que você quer marcar estão erradas, marque a não-eliminada sem medo, mesmo que você não tenha certeza absoluta do porquê aquela está certa (as vezes o que importa não é achar a certa, e sim eliminar as 4 erradas. O teste pode estar mal feito.). Agora, se a dúvida persistir, promova a questão para uma marca de triangulo, pule e siga em frente.

Segundo as marcadas com quadrado:
Essas são aquelas que você manja a teoria, mas não chegou em nenhuma das respostas. quando isso acontecer, levante as mãos e agradeça a Deus, porquê se você tivesse chegado em uma resposta com alternativa você teria errado a questão. Reveja as contas PASSO A PASSO, sem pular sequer uma passagem. 90% de chance de você encontrar seu erro ali.

Agora, se você tiver certeza absoluta que não errou nas contas, repense se a teoria que você usou está certa. Muito provavelmente essa questão você vai matar, porque isso acontece quando você manja a teoria e estava fazendo algum erro bobo quando tentou resolvê-la pela primeira vez. Caso isso não aconteça, a questão deve ser promovida para triangulo também, e siga em frente.

Terceiro as marcadas com estrelinha:

Aquelas que no fundo você sabe que sabe, mas ainda não viu a saída. Essas você (que ainda terá a essa altura do campeonato uns 40 minutos de prova, porque os 2 primeiros passos dessa segunda leitura são rápidos), você pensa com calma.

Muitas delas você resolverá de imediato. É o famoso “putz!! é isso” que geralmente as pessoas pensam DEPOIS que entregaram a prova para o fiscal, já do lado de fora da sala porque não deixaram o cérebro amadurecer a idéia.

Não é o que está acontecendo com você, já que você deu uma segunda chance pra o seu cérebro, com a “cuca mais fresca” e com umas 80 questões da prova já resolvidas. Pense com calma nelas, lembre-se que ainda há tempo. Desencane só quando faltarem uns 15 minutos pra o fim. As que não rolarem por qualquer motivo, promova-as também para triângulos.

OBS: nessa segunda leitura, faça-a com o cartão de respostas ao lado e marque nele as alternativas assim que você resolver cada questão, para evitar acidentes tipo “acabou o tempo e ainda não passei nenhuma das que faltava”

Terceira leitura: Resolver os triângulos. você ainda tem 15 minutos, umas 82, 83 questões resolvidas.

Devem faltar, para um vestibulando bem preparado, umas 7 que foram promovidas a triângulos (não significa que você certamente acertou 83, porque existem os erros de bobagem, mas você já se garantiu na maioria delas).

Aqui vale uma observação: você pode dizer “Ah! Então esse cara está dizendo que eu só vou chutar “às cegas” umas 7 questões??” E eu digo “sim! Pense que quando você normalmente corrige seus simulados, se você é um concorrente com preparo acima do normal (o que é necessário se você alimenta esperanças de passar na pinheiros) você vê que grande parte das que você errou, não foi por falta de teoria, mas por outros motivos, já citados.

Essas poucas que sobram no final são as que você não sabe mesmo. Por falta de teoria, capacidade de interpretação de texto, problema na redação da questão pelo enunciador, etc.

São aquelas não permitem que todos 175 que passam gabaritem a FUVEST (mesmo que o preparo teórico de todos seja muito alto e muito similar). Esse método permite que você só erre ESTAS, e não outras que você erra por qualquer outro motivo. São aqueles 4, 5 ou até mais pontos a mais que fazem toda a diferença.

Leia com calma, você tem 5 minutos pra ler todas elas. Dê uma segunda chance a todas, veja se a resposta sai. Se você tiver sorte, uma ou outra delas talvez saia. Se não, o que eu fazia era eleger uma delas para brigar até o fim, e desencanava das outras.

Quarta “leitura”, o levantamento estatístico:

Veja quantas letras você marcou de cada alternativa, e chute as poucas que sobram na letra que foi menos marcada. Se as alternativas foram escolhidas de maneira aleatória, probabilisticamente falando, é certo que existem aproximadamente o mesmo número de questões com gabarito “a”, “b”, “c”, “d” e “e”.

Claro que, se a letra eleita for “b” e uma questão que você não sabe você já eliminou a letra “b”, você não vai marcar esta, marque outra (talvez a segunda letra menos escolhida por você ao longo da prova). Isso amplia suas chances de acertar “no chute”.

Quinta (e última) leitura (você tem só uns 5 minutos antes do fiscal tomar sua prova):

Fique “quebrando a cuca” naquela que você elegeu como sua favorita (obviamente, a que você achou a mais factível). Existe uma chance considerável de você não chegar a uma conclusão, mas não tem nada a perder, só a ganhar (1 ponto extra).Talvez você ache a solução, e garanta mais um pontinho. Senão, você chuta de uma vez a alternativa eleita a menos escolhida e entrega a prova com a consciência limpa de que você usou seu tempo da melhor maneira possível.

Observações finais:
– os símbolos escolhidos foram arbitrários, escolha os que você quiser. Mas não os confunda. Simbolize de diferente maneira os diferentes tipos de questões, para você não perder tempo tendo que re-ler cada uma antes de fazer as leituras posteriores à primeira.

– NÃO pense NUNCA na nota que você vai tirar, policie seu cérebro, isso é questão de treino. Concentração total no AGORA, e não no depois. Pensar no depois tira a concentração, é fatal. Se você está indo bem e pensa “oba! Vou tirar mais de 80!” você começa a ficar empolgado e erra questões por distração. Se as primeiras questões foram difíceis e você pulou você pensa “droga, esse simulado vai me deixar triste ainda hoje” e você perde a confiança necessária para resolver questões mais sofisticadas.

– Recomendo fazer da 1 a 90 na primeira leitura porque assim você sempre sabe exatamente a sua velocidade na prova, é mais fácil de controlar. Claro, não precisa fazer exatamente “3 minutos” por questão, tem questão que você demora mais, tem questão que você demora menos. Mas assim você tem uma noção aproximada do quanto está demorando. Por exemplo: “passaram 2 horas e 15 de prova, eu estou na 40 ainda. Mas as primeiras matérias foram exatas, demoram mais” depois “passaram 3 horas, e eu estou na 75, perfeito..estou acelerando porque humanas é mais rápido”.

– Leve relógio digital com cronômetro, para você saber exatamente o tempo que passou, e não ter que ficar perdendo tempo fazendo conta do tipo “humm..agora são 4 e 10..a prova começou as 2 e 7..passaram….”

– Esse método não é receita mágica, só da certo pra pessoas que, como você, estão preparadas. Quem não está acha tudo difícil sempre.

– Esse método da para ser feito com perfeição a partir do treino. Recomendo que você faça todos os simulados da mesma forma.

– Por fim, e mais importante dessa observação: NÃO TENHA REMORSO DE PULAR!!!! As questões da primeira lida a serem resolvidas são aquelas que você tem CERTEZA de que você matou, então, se está com 1% de duvida PULE!!! promova-a pra circulo, quadrado, triangulo ou estrela.

Ultimo comentário:
Muito boa sorte a todos vocês. Alguns dizem que “sorte é para quem não está preparado”. Pois eu digo que sorte é justamente quando alguém preparado encontra a oportunidade de sucesso. O preparo está sendo ao longo do ano e a oportunidade virá no final. Desejo sim um ótimo preparo e uma ótima prova. Portanto, mais uma vez, MUITO BOA SORTE! Aguardo vocês como calouros ano que vem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s