Carreiras: para cada vaga, um currículo diferente

07 de fevereiro de 2011, às 08h01min

Profissionais com várias experiências ou aqueles com vários objetivos devem elaborar um currículo específico para a vaga para a qual estão se candidatando

Por Camila F. de Mendonça, InfoMoney

SÃO PAULO – Existem características e habilidades exigidas dos profissionais pelo mercado de trabalho que são comuns a todas as áreas. Contudo, para cada vaga, existem algumas particularidades para as quais os candidatos devem atentar. A começar pelo currículo.

 

“Para os profissionais que possuem mais de um cargo de interesse, é mais indicado que elaborem dois ou mais currículos específicos para cada área de atuação, especificando em cada um a experiência e conhecimentos relacionados”, aconselha a consultora de RH (Recursos Humanos) da Catho Online, Daniella Correa.

 

“Na prática, a realização dessa estratégia se faz necessária devido ao fato de não ser adequado mencionar no mesmo currículo cargos de interesse distintos”, explica Daniella. “Pois, ao fazer isso, o candidato poderá passar a impressão de falta de foco profissional”, completa.

 

A estratégia não vale apenas para quem tem mais de um cargo de interesse, mas também para aqueles que definiram um único objetivo e que possuem diversas experiências. “Uma determinada experiência não serve para determinada vaga”, explica o presidente da Curriculum, Marcelo Abrileri. “Se eu tenho experiências distintas, tenho de colocar as que estão em linha com a vaga que estou concorrendo”.

 

Por isso, é importante saber que, para cada vaga, é preciso um currículo específico. “Mencionar um cargo específico deixará o currículo mais profissional”, acredita Daniella.

 

Especificidades


Mas como saber qual informação é preciso priorizar na hora de elaborar o currículo? Cada área tem a sua especificidade. E para os profissionais que atuarão nelas, selecionar as informações que mais têm a ver com a vaga pode tornar o documento mais atraente para o selecionador. Abrileri ressalta que, dependendo da área, o profissional deve focar nas qualificações técnicas específicas a ela.


Uma vaga na área de Engenharia, Tecnologia e Saúde, por exemplo, requer o campo “cursos” com atividades bem específicas à vaga. Não adianta você citar sua experiência com vendas – essa informação entrará apenas na entrevista. E se necessário.

 

Para vagas relacionadas à Administração e Liderança, muitas vezes a experiência conta mais que determinados cursos. “Para os cargos de liderança, o profissional deve destacar especificamente suas habilidades de gestão e comunicação, habilidades mais estratégicas e voltadas aos cargos de gestão”, explica Daniella.

 

Cada área também exige habilidades comportamentais e qualificações pessoais bem específicas. Contudo, na avaliação da consultora, esse tipo de informação deve ficar de fora do documento. “Geralmente esses pontos deverão ser identificados no momento da entrevista, pois é nessa hora que o profissional terá a oportunidade de vender suas qualificações”, afirma Daniella.

 

Dessa forma, na hora de entrevista, para cada área, é preciso valorizar algumas características específicas. Tanto Abrileri como Daniella acreditam que em vagas de Tecnologia, por exemplo, é preciso valorizar capacidades de raciocínio abstrato e lógico, criatividade, senso analítico, empatia e capacidade de trabalhar sob pressão.

 

Considerando a área de Comunicação, os especialistas acreditam que os candidatos precisam demonstrar extroversão e espírito crítico. Candidatos para vagas de Engenharia devem privilegiar a visão sistemática, dinamismo, capacidade de liderança e decisão. Profissionais da área de Saúde devem privilegiar a capacidade de atenção seletiva, rapidez de percepção, tolerância, altruísmo e capacidade de lidar com situações adversas.

 

Habilidades de lidar e resolver conflitos, agir com iniciativa e espírito empreendedor serão exigidas de profissionais da Administração. De profissionais da área de Humanas, de maneira geral, os selecionadores esperam encontrar candidatos com empatia e que tenham um forte papel facilitador, para que sejam agentes de mudanças, e assertividade.

 

Os pontos comuns


Um bom currículo não deve ter apenas especificidades. Ao contrário, independentemente da área, existem pontos que todos os documentos devem ter. A começar por uma boa apresentação. “O currículo deve ser agradável à leitura, portanto, deve ser discreto, nada de cores, desenhos, margens e símbolos, o ideal para destacar as informações é no mínimo a utilização de recursos como negrito e sublinhado. Deve-se evitar também variar os tipos de fontes”, explica Daniella.


Além disso, a consultora ainda destaca que o currículo deve ser breve, objetivo e conciso. É preciso evitar listas longas de qualquer tipo. “Todos os detalhes devem ser avaliados para escolher o modelo adequado ao perfil, considerando tempo de atuação, idade, qualificações e cargos de interesse”, explica a consultora.

Para Abrileri, o mais importante em um perfil é a ética. “Não pode de jeito nenhum inventar informações, ser prolixo e errar na Língua Portuguesa”, aconselha. De maneira geral, segundo os especialistas consultados, todo currículo deve ter os seguintes campos:

  • Um objetivo conciso;
  • Uma breve síntese de qualificações;
  • Formação acadêmica;
  • Nível de conhecimento em idiomas (caso possua);
  • Vivência internacional (caso possua);
  • Cursos realizados;
  • Conhecimentos específicos em informática;
  • Experiências profissionais
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s