Estudante de 16 anos é aprovada em nove vestibulares para medicina

09/02/2011 16h04 – Atualizado em 09/02/2011 17h39

‘Sempre fui exigente demais comigo’, diz Marcela.
Garota vai estudar na Universidade de São Paulo (USP).

Vanessa Fajardo Do G1, em São Paulo

Marcela Malheiro, de 16 anos, passou na USP, Unicamp, Unesp, UFRJ, Unifesp… (Foto: Raul Zito/G1)

Marcela Malheiro Santos, de 16 anos, tem o privilégio de escolher entre o curso de medicina de nove universidades brasileiras. A estudante foi aprovada nas principais instituições de ensino do país, entre elas: Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade Estadual de São Paulo (Unesp) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Instituições em que Marcela foi aprovada
Universidade de São Paulo (USP)
Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
Universidade Estadual de São Paulo (Unesp)
Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – SiSU
Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)
Universidade Metropolitana de Santos (Unimes)
PUC-Campinas
PUC-Paraná
Instituições em que Marcela não foi aprovada
Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ)
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

No total, Marcela prestou 13 vestibulares. Passou em nove, não passou em quatro (veja quadro ao lado). A estudante já decidiu: vai fazer o curso de medicina da USP.

Filha de um bancário e uma profissional de biblioteconomia, a estudante diz que seus pais nunca exigiram que ela fosse uma aluna excelente e tivesse sucesso no vestibular. A mãe, inclusive, avisou que a família faria um esforço para mantê-la em uma universidade particular caso ela não conseguisse vaga nas públicas. Porém, Marcela nem trabalhou com esta hipótese.

“Sempre fui exigente demais comigo. Na escola se eu tirasse nove ficava mal e ia questionar o professor”, disse Marcela ao receber a reportagem do G1 em sua casa, no bairro de Pirituba, em São Paulo, na manhã desta quarta-feira (9). Em plena entrevista, o nome da vestibulanda aparecia em mais uma lista, a dos aprovados em medicina pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Mesmo antes de concluir o ensino médio, o nome da estudante já aparecia na lista de classificados da USP. No ano passado, ela foi aprovada como treineira na área de biológicas, e no primeiro ano do ensino médio também passou para a segunda fase, mas não fez a prova porque foi viajar.

Estudante já havia sido aprovado como treineira na Fuvest em 2010 (Foto: Raul Zito/G1)Estudante já havia sido aprovado como treineira na
Fuvest em 2010 (Foto: Raul Zito/G1)

Quando criança, ela ‘pulou’ um ano
Ainda criança, Marcela mostrou seu potencial. Quando tinha 6 anos, sua mãe foi informada pela professora de educação infantil da escola onde estudava que a menina já estava alfabetizada e portanto atrapalhava o andamento da turma, por isso deveria ser matriculada no primeiro ano do ensino fundamental, ou seja, “pular” um ano. A mãe, na época, teve dificuldades de encontrar um colégio que aceitasse a matrícula já que a menina ainda não havia completado 7 anos.

Marcela fará 17 anos no próximo dia 22 de fevereiro. Para ela, a pouca idade não será problema quando estiver na faculdade. “Todo mundo estará lá com o mesmo objetivo. Foi difícil para todo mundo da mesma forma, por isso a idade não faz diferença.”

Aluna do Colégio Integrado Objetivo, em São Paulo, Marcela diz que não esperava passar em nenhum dos vestibulares que prestou. Tanto que chegou a se matricular como garantia na PUC-Paraná, uma das primeiras instituições a divulgar o resultado. “Toda vez que via meu nome na lista de aprovados ficava muito surpresa”, afirma.

Dedicação
Tanto sucesso não foi à toa. Marcela sempre foi boa aluna, ama ler e reservou o ano de 2010 para se preparar ao vestibular. Desistiu das aulas de balé, jazz e sapateado, das conversas com os amigos pela internet, e dos passeios. No máximo, dava uma volta de meia hora de bicicleta, pelo bairro onde mora, em Pirituba, aos domingos.

De manhã, frequentava as aulas regulares do terceiro ano do ensino médio, e à tarde aproveitava as atividades extras da escola, como plantão de dúvidas e aulas de redação. Em casa estudava na escrivaninha no quarto, sob silêncio total. “Nunca fui de ficar estudando o tempo todo, mas prestava muita atenção nas aulas. Os professores dão dicas do que vai cair e há questões modelo que você pode treinar”, destacou.

Nas horas de descanso dos estudos, Marcela gostava de andar de bicicleta (Foto: Raul Zito/G1)Nas horas de descanso dos estudos, Marcela gostava de andar de bicicleta (Foto: Raul Zito/G1)

A tática de Marcela foi inversa da maioria dos vestibulandos. Entre janeiro a maio de 2010, ela pegou pesado nos estudos, e relaxou no segundo semestre. “Não dá para estudar como maluca. Você fica muito cansada e dá mais nervosismo na hora da prova.”

Escolha
A opção por estudar medicina veio de empurrão dos pais que consideram que ela tem perfil para carreira. A garota não imagina como será o curso, nem tem ideia da especialidade que pretende seguir. No momento, está ansiosa com o trote. “Estou com um pouco de medo, mas conheço uma menina que está no segundo ano que pode me ajudar”, brinca.

Concluída a missão de passar no vestibular, Marcela tem planos de fazer dança de salão e voltar a viajar – uma de suas paixões. Quando fez 15 anos pode escolher entre uma festa e uma viagem. Fez a segunda opção e passou 30 dias viajando pela Europa com a irmã que também seguiu carreira em saúde e é dentista. Para comemorar o sucesso nos vestibulares, Marcela pretende fazer uma nova viagem com os pais.

Veja dicas de estudos da vestibulanda
– Se possível, dedicar o ano aos estudos e dispensar demais compromissos;
– Não estudar muitas horas por dia;
– Prestar atenção nas aulas e nas dicas dos professores;
– Responder questões de vestibulares anteriores, pois muitos modelos são mantidos;
– Ler revistas, jornais, livros e sites informativos;
– Aos alunos que ainda não estão no terceiro ano, vale a pena prestar vestibular como treineiro;
– Revisar a matéria do dia, em casa;
– Fazer uma redação por semana;
– Buscar formas de relaxar o corpo e a mente pelo menos uma vez por semana;
– Evitar comidas pesadas, como fritura, principalmente antes das provas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s