O assunto hoje no Colégio Energia foi Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade

Iniciamos falando aos alunos sobre a incidência de alunos com problemas relacionados a aprendizagem, principalmente a poucos passos do vestibular. A ocorrência do TDAH, por exemplo, está entre 5 a 7% em adolescentes, e é diagnosticado mais facilmente nos meninos, pois neles é que se apresenta os sintomas mais aparentes, característicos da hiperatividade. Apesar de um tipo de transtorno como esse, poder ter impactos catastróficos no sucesso de uma pessoa, no seu futuro profissional, não podemos confundir casos normais de instabilidade de humor e atenção, ansiedade, impulsividade, hiperatividade típicos da fase da adolescência.
Todo psicodiagnóstico tem que ser feito com cuidado, e mesmo que as características sintomáticas do DSMIV apontarem para níveis de Déficit de atenção e Hiperatividade, a medicamentação deve ser controlada com responsabilidade.
Os tratamentos podem ser diversos. Indicamos atendimento com psicólogo especializados em problemas de aprendizagem, acompanhados de neurologista ou um médico psiquiatra, tratamentos alternativos, como acupuntura, e um atenção direcionada a família.
Abaixo temos uma entrevista da Dra. Ana Beatriz Barbosa Silva no programa do Jô Soares, que explicará de uma forma simples alguns sintomas e apresentará seu livro “Mentes Inquietas”.
TDA OU TDAH EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES
Autoria: Dra. Ana Beatriz Barbosa Silva

* Dra. Ana Beatriz Barbosa Silva (Médica Psiquiatra, CRM/RJ 5253226/7 e CRM/SP 113.092-S

O que é?

A sigla TDA significa transtorno do déficit de atenção. Trata-se de um funcionamento mental caracterizado pela seguinte tríade de sintomas: desatenção, impulsividade e hiperatividade ou excesso de energia.


Qual a população atingida?

O TDAH está presente entre 3 e 7% da população infantil em fase escolar. Ele ocorre independentemente de etnia, níveis de escolaridade, graus de inteligência e condições socioeconômicas. No que tange ao gênero, estudos recentes sugerem que a proporção de meninos para meninas seja de 3:1.

Entre as meninas predominam os sintomas de desatenção. Já entre meninos, predominam os sintomas de hiperatividade/impulsividade. A consequência desta diferença é que o TDA é mais facilmente percebido em crianças do sexo masculino, já que sua intensa agitação atrai mais atenção. No sexo feminino, o problema pode passar despercebido, causando atrasos no diagnóstico ou até mesmo que nunca seja feito. Além disso, não se sabe ainda ao certo se o TDA é realmente mais frequente em meninos ou se é subdiagnosticado em meninas.

Durante a adolescência, algumas características do TDA podem ser exacerbadas, como a impulsividade, que, aliada aos conflitos próprios da idade, podem gerar rompantes de agressividade. A crescente dificuldade das tarefas escolares é agravada pela tendência à desorganização e à distração, em um momento em que os pais já não fazem tudo para o filho “crescidinho”.

Sinais de alerta para o TDA em crianças e adolescentes

 Com frequência deixa de prestar atenção a detalhes ou comete erros por descuido em tarefas escolares e outras;
 Com frequência tem dificuldade em manter a atenção em tarefas e atividades lúdicas;
 Com frequência parece não escutar quando lhe dirigem a palavra;
 Com frequência não segue instruções e não termina tarefas;
 Com frequência tem dificuldade para organizar tarefas e atividades;
 Com frequência perde coisas necessárias para tarefas ou atividade (brinquedos, lápis etc.);
 É facilmente distraído por estímulos alheios à tarefa;
 Com frequência apresenta esquecimento em atividades diárias;
Com frequência agita mãos e pés ou se remexe na cadeira;
 Com frequência abandona sua carteira em sala de aula ou em outras situações em que se espera que permaneça sentada;
 Frequentemente corre ou escala em demasia, mesmo quando é inapropriado ao local ou situação;
 Está frequentemente “a mil” ou “a todo vapor”;
 Com frequência fala em demasia;
 Com frequência responde precipitadamente antes de uma pergunta ter sido completada;
 Com frequência tem dificuldade para aguardar sua vez;
 Frequentemente interrompe ou se mete em assuntos dos outros.
O que causa o TDA?

O TDA é causado por um mau funcionamento da neuroquímica cerebral. Estudos confirmam que há uma alteração metabólica principalmente nas regiões pré-frontal e pré-motora do cérebro. Como a região frontal é a principal reguladora do comportamento humano, falhas no funcionamento bioquímico desta região levariam às alterações encontradas no TDA (desatenção, impulsividade e inquietação). Outro aspecto é o forte componente hereditário do TDA. É comum a ocorrência de TDA em várias pessoas de uma mesma família (pais, tios, avós, irmãos).

Fonte: Mentes Inquietas: TDAH – desatenção, hiperatividade e impulsividade
Dra. Ana Beatriz Barbosa Silva.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s