As 10 melhores técnicas de estudo, segundo a ciência

Publicado Walmar Andrade em 25/02/2013 às 7:00

Um estudo recentemente publicado em janeiro de 2013 na revista científica Psychological Science in the Public Interest avaliou dez técnicas comuns de aprendizagem para classificar quais possuem de fato a melhor utilidade.

O resultado do paper (íntegra aqui) traz algumas surpresas para o estudante.

Técnicas bastante populares no Brasil, como resumir, grifar, utilizar mnemônicos, visualizar imagens para apreensão de textos e reler conteúdos foram classificadas como as de utilidade mais baixa.

Três práticas foram encaradas como de utilidade moderada: interrogação elaborativa, auto-explicação e estudo intercalado.

E as duas que obtiveram o mais alto grau de utilidade na aprendizagem foram as técnicas de teste prático e prática distribuída.

É a ciência desaprovando boa parte do meu método de estudo, muito baseado em resumos, grifos, mnemônicos e mapas mentais. Por outro lado, foi confirmada a impressão que eu tinha de que a realização de exercícios em doses cavalares era extremamente efetiva para o estudo para concursos públicos.

Lembre-se de que o ranking reflete os resultados do estudo, porém cada pessoa tem o seu estilo de estudo e nada está escrito em pedra. Dito isto, falemos agora sobre as dez técnicas, das piores para as melhores.

Grifar (utilidade: baixa)

grifar 595x396 As 10 melhores técnicas de estudo, segundo a ciência

Tão fácil quanto ineficiente.

Prepara-se para dar um descanso ao seu grifador amarelo. O estudo aponta que a técnica de apenas grifar partes importantes de um texto é pouco efetiva pelos mesmos motivos pelos quais é tão popular: praticamente não requer esforço.

Ao fazer um grifo, seu cérebro não está organizando, criando ou conectando conhecimentos. Então, grifar só pode ter alguma (pouca) utilidade quando combinada com outras técnicas.

Releitura (utilidade: baixa)

reler 595x396 As 10 melhores técnicas de estudo, segundo a ciência

Deixa eu ler pela quinta vez…

Reler um conteúdo, em regra, é menos efetivo do que as demais técnicas apresentadas. O estudo, no entanto, mostrou que determinados tipos de leitura (massive rereading) podem ser melhores do que resumos ou grifos, se aplicados no mesmo período de tempo. A dica é reler imediatamente depois de ler, por diversas vezes.

Mnemônicos (utilidade: baixa)

mnemonico 595x446 As 10 melhores técnicas de estudo, segundo a ciência

Remember, remember, SoCiDiVaPlu.

Segundo o dicionário Houaiss, mnemônico é algo relativo à memória; que serve para desenvolver a memória e facilitar a memorização (diz-se de técnica, exercício etc.); fácil de ser lembrado; de fácil memorização.

Em apostilas e sites de concursos públicos, é muito comum ver o uso de mnemônicos com as primeiras letras ou sílabas, como SoCiDiVaPlu para decorar os fundamentos da República Federativa do Brasil (artigo 1º da Constituição).

O estudo da Psychological Science in the Public Interest mostrou que os mnemônicos só são efetivos quando as palavras-chaves são importantes e quando o material estudado inclui palavras-chaves fáceis de memorizar.

Assuntos que não se adaptam bem a geração de palavras-chaves não conseguiram ser bem aprendidos com o uso de mnemônicos. Então, utilize-os em casos específicos e pouco tempo antes de teste.

Visualização (utilidade: baixa)

mindmap visualizacao 595x464 As 10 melhores técnicas de estudo, segundo a ciência

Exemplo de mapa mental.

Os pesquisadores pediram que estudantes imaginassem figuras enquanto liam textos. O resultado positivo foi apenas em relação a memorização de frases. Em relação a textos mais longos, a técnica mostrou-se pouco efetiva.

Surpreendentemente (ao menos para mim), a transformação das imagens mentais em desenhos também não demonstrou aumentar a aprendizagem e ainda trouxe o inconveniente de limitar os benefícios da imaginação.

Isso não invalida completamente o uso de mapas mentais para estudos, já que esses consistem além de desenho a conexão de ideias e conceitos.

De qualquer maneira, o resultado do estudo é que a visualização não é uma técnica efetiva para provas que exijam conhecimentos inferidos de textos.

Resumos (utilidade: baixa)

resumir 595x395 As 10 melhores técnicas de estudo, segundo a ciência

Vou resumir para você.

Resumir os pontos mais importantes de um texto com as principais ideias sempre foi uma técnica quase intuitiva de aprendizagem.

O estudo mostrou que os resumos são úteis para provas escritas, mas não para provas objetivas.

Embora tenha sido classificado como de utilidade baixa, a técnica de resumir ainda é mais útil do que grifar e reler textos. O paper diz que a técnica pode ser uma estratégia efetiva para estudantes que já são hábeis em produzir resumos.

Interrogação elaborativa (utilidade: moderada)

perguntar 595x348 As 10 melhores técnicas de estudo, segundo a ciência

Por que é que a vida é assim?

A técnica de interrogação elaborativa consiste em criar explicações que justifiquem por que determinados fatos apresentados no texto são verdadeiros.

O estudante devem concentrar-se em perguntas do tipo Por quê? em vez de O quê?.

Seguindo o exemplo que demos pouco antes, em vez de decorar um mnemônico como SoCiDiVaPlu, o ideal seria perguntar-se por que o Brasil adota a dignidade da pessoa humana como fundamento da República? E buscar a resposta na origem do estado democrático de Direito e na adoção do princípio da dignidade da pessoa humana pelas principais democracias ocidentais após a Revolução Francesa.

Note que esse tipo de estudo requer um esforço maior do cérebro, pois concentra-se em compreender as causas de determinado fato, investigando suas origens.

Falando especificamente de concursos públicos, a interrogação elaborativa é um grande diferencial na hora de responder redações e questões discursivas.

Auto-explicação (utilidade: moderada)

autoexplicacao 595x396 As 10 melhores técnicas de estudo, segundo a ciência

Entendeu, Eu Mesma?

A auto-explicação mostrou-se ser uma técnica útil para aprendizagem de conteúdos mais abstratos. Na prática, trata-se de ler o conteúdo e explicá-lo com suas próprias palavras para você mesmo.

O estudo mostrou que a técnica é mais efetiva se utilizada durante o aprendizado, e não após o estudo.

Estudo intercalado (utilidade: moderada)

estudo intercalado 595x483 As 10 melhores técnicas de estudo, segundo a ciência

Vou alternar as matérias, na ordem dessa pequena pilha.

O estudo intercalado é o que chamamos de rotação de matérias em posts anteriores.

A pesquisa procurou saber se era mais efetivo estudar tópicos de uma vez ou intercalando diferentes tipos de conteúdos de uma maneira mais aleatória.

Os cientistas concluíram que a intercalação tem utilidade maior em aprendizados envolvendo movimentos físicos e tarefas cognitivas (como ciências exatas).

O principal benefício da intercalação, como já havíamos observado, é fazer com que a pessoa consiga manter-se mais tempo estudando.

Teste prático (utilidade: alta)

teste marcar x 595x396 As 10 melhores técnicas de estudo, segundo a ciência

Simular é o melhor caminho.

Realizar testes práticos sobre o que você está estudando é uma das duas melhores maneiras de aprendizagem. A pesquisa científica mostrou que realizar testes práticos é até duas vezes mais eficiente do que outras técnicas.

No caso específico de concursos públicos, a recomendação é fazer toneladas de exercícios de provas anteriores. Não apenas do cargo para o qual você está estudando, mas qualquer tipo de questão que encontrar pela frente.

Como já recomendamos anteriormente, a maneira mais fácil de realizar testes é utilizando sistemas específicos para isso, como o site Questões de Concursos.

Prática distribuída (utilidade: alta)

distributed 595x377 As 10 melhores técnicas de estudo, segundo a ciência

Vou rever o conteúdo a cada 15 dias.

A prática distribuída consiste em distribuir o estudo ao longo do tempo, em vez de concentrar toda a aprendizagem em um bloco só (a.k.a. na véspera da prova).

Pesquisas mostram que o tempo ótimo de distribuição das sessões de estudo é de 10% a 20% do período que o conteúdo precisa ser lembrado. Por essa conta, se você quer lembrar algo por cinco anos, vocÊ deve espaçar seu aprendizado a cada seis meses. Se quer lembrar por uma semana, deve estudar uma vez por dia.

A prática distribuída também pode ser interpretada como a distribuição do estudo em pequenos períodos ao longo do dia, intervalando com períodos de descanso. Por exemplo, uma hora de manhã, uma hora à tarde e outra hora à noite.

Essa é exatamente a teoria de Tony Schwartz aplicada em técnicas de timebox como a Pomodoro Technique.

Quais as suas técnicas de estudo?

Se você está estudando algo, seja para concursos ou não, deixe suas opiniões sobre a pesquisa na caixa de comentários.

Quais dessas técnicas você utiliza? Você concorda com os resultados? Que outras técnicas de estudo você recomendaria?

Fonte: Big Think

Principais Vestibulares do Brasil

Por Mundo Vestibular Confira aqui os maiores e mais importantes vestibulares do Brasil, organizados por região. Fique atento à data de publicação dos próximos artigos da série!

[Ache os cursos e faculdades ideais para você.]

Maiores vestibulares do Sul

Começamos com a série dos maiores vestibulares do Brasil pela região Sul. (publicação em 24/09/2012)

 

Maiores vestibulares do Sudeste

(publicação em 31/09/2012)

  • Maiores vestibulares de São Paulo
  • Maiores vestibulares do Rio de Janeiro
  • Maiores vestibulares de Minas Gerais
  • Maiores vestibulares do Espírito Santo

 

Maiores vestibulares do Centro-Oeste

  • Maiores vestibulares do Distrito Federal
  • Maiores vestibulares de Goiás
  • Maiores vestibulares do Mato Grosso
  • Maiores vestibulares do Mato Grosso do Sul

 

Maiores vestibulares do Nordeste

  • Maiores vestibulares de Alagoas
  • Maiores vestibulares da Bahia
  • Maiores vestibulares do Ceará
  • Maiores vestibulares do Maranhão
  • Maiores vestibulares da Paraíba
  • Maiores vestibulares de Pernambuco
  • Maiores vestibulares do Piauí
  • Maiores vestibulares do Rio Grande do Norte
  • Maiores vestibulares de Sergipe

 

Maiores vestibulares do Norte

  • Maiores vestibulares do Acre
  • Maiores vestibulares do Amazonas
  • Maiores vestibulares do Amapá
  • Maiores vestibulares do Pará
  • Maiores vestibulares de Rondônia
  • Maiores vestibulares de Roraima
  • Maiores vestibulares do Tocantins

FUVEST Abre Inscrições para o Vestibular 2013 – Saiba Mais

Fonte:fuvest online

A Fundação Universitária para o Vestibular (FUVEST) abre nesta sexta-feira(24) as inscrições para o vestibular 2013. Os interessados devem fazer a inscrição no site da FUVEST até o dia 10 de setembro, o valor da taxa de inscrição será R$130,00, o pagamento pode ser efetuado até o dia 11 de setembro.

Vagas

Serão 10.982 vagas para USP, além de 100 vagas para o curso de medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa.

Provas

A prova da primeira fase será de conhecimentos gerais , contendo 90 questões de múltipla escolha, sendo sua realização no dia 25 de novembro. Para os candidatos que passarem para segunda fase, estes farão prova nos dias 6 a 8 de janeiro de 2013.

Novidade

A Universidade de São Paulo (USP) possui um Programa de Inclusão Social (Inclusp) que garante duas possibilidades para os estudantes da rede pública possam ingressar em seus cursos. Para o Programa de Avaliação Seriada da USP (Pasusp), as inscrições foram encerradas no dia 15 de agosto, porém existe outra forma de estímulo para esses estudantes que é o chamado Sistema de Pontuação Acrescida que permite aos alunos que cursaram integralmente o Ensino Médio nas escolas públicas e que não tenham feito inscrição no Pasusp, optar pelo acrescimento das notas da 1ª e 2ª fase, segundo o cálculo base no desempenho do candidato na prova da primeira fase. Esse bônus pode corresponder a 8% da nota.

Para tirar às suas dúvidas sobre a prova confira o manual da FUVEST 2013
[Ache os cursos e faculdades ideais para você!]

Inscrições para o vestibular 2013 da Unicamp já podem ser feitas; confira o manual

Do UOL, em São Paulo
Comentários 1

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) abriu nesta segunda-feira (20) as inscrições para o vestibular 2013. O cadastro poderá ser realizado até 14 de setembro, exclusivamente pela internet. A taxa de inscrição é de R$ 135. A universidade oferece 3.444 vagas em 68 cursos da Unicamp e dois cursos da Famerp (Faculdade pública de Medicina e Enfermagem de São José do Rio Preto). Confira o manual:

 

O vestibular da Unicamp é composto por duas fases. Na primeira fase, a prova é dividida em duas partes: a redação e a parte de conhecimentos gerais, com 48 questões de múltipla escolha. Já na segunda, realizada em três dias consecutivos, as provas são discursivas: no primeiro dia, acontecem as provas de língua portuguesa e de literatura e prova de matemática; no segundo dia, as provas de ciências humanas e artes e prova de língua inglesa; por fim, no terceiro dia, as provas de ciências da natureza.

Curso de música

A Unicamp decidiu cancelar a nova prova de habilidade instrumental que seria realizada pelos candidatos dos cursos de música a partir do vestibular 2013. Segundo a universidade, a prova foi cancelada por conta do impacto que teria na nota dos candidatos e do pouco tempo disponível para preparação e gravação desses vídeos. O peso desta prova seria de 50% da nota da primeira fase.

A prova presencial está mantida para os cursos de música, após a segunda fase do vestibular 2013, entre os dias 21 a 24 de janeiro.

As informações sobre a prova de habilidades específicas pode ser visto no manual do candidato.

Mudanças

No vestibular do ano passado, os candidatos deveriam redigir três textos na prova de redação. Esse ano houve alterações, e os candidatos deverão produzir apenas dois textos de gêneros distintos e de execução obrigatória na prova de redação.

Além disso, foram criados quatro novos cursos de graduação: engenharia de telecomunicações (50 vagas em período integral), sistemas de informação (45 vagas, integral), engenharia ambiental (60 vagas, período noturno) – oferecidos na FT (Faculdade de Tecnologia) de Limeira; e engenharia física (15 vagas, período integral), no campus de Campinas, em Barão Geraldo.

O número de convocados para a segunda fase, de cada curso, passa de oito para, no máximo, seis vezes o número de vagas oferecidas, considerando os candidatos que optaram primeira opção de curso.

As provas não serão mais aplicadas nas cidades de Curitiba e Rio de Janeiro.

Enem

Sobre o uso do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) no vestibular deste ano, a universidade informa:

  • As notas do Enem só serão utilizadas na classificação para a segunda fase do vestibular, se o MEC (Ministério da Educação) disponibilizar o cadastro e as notas relativas ao Enem 2012 até o dia 30 de novembro de 2012. Caso isso não aconteça, as notas de 2011 ou de 2012 do Enem, não serão consideradas para nenhum candidato nessa fase do vestibular;
  • As notas do Enem só serão utilizadas para compor a nota da primeira fase no cálculo da nota final do vestibular caso o MEC disponibilize o cadastro e as notas relativas ao Enem 2012 até o dia 15 de janeiro de 2013. Caso contrário, as notas do Enem, de 2011 ou de 2012, não serão consideradas para nenhum candidato do vestibular.

Isentos

Os beneficiados com a isenção de taxa do vestibular não estão automaticamente inscritos no processo seletivo, por isso devem efetuar a inscrição, utilizando o código de isento fornecido pela Comvest (Comissão Permanente para os Vestibulares).

A instituição ofereceu 6.640 isenções na modalidade 1; 100 na modalidade 2 e um número ilimitado de isenções na modalidade 3. Veja a lista:

Leitura obrigatória

A lista de leituras obrigatórias para o vestibular da Fuvest e da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) apresenta mudanças para este ano. Houve troca de quatro títulos.

As novas obras da lista são:

  • Viagens na Minha Terra, de Almeida Garrett;
  • Til, de José de Alencar;
  • Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis e
  • Sentimento do mundo, de Carlos Drummond de Andrade.

 

Esses livros substituem “Auto da barca do inferno”, “Iracema”, “Dom Casmurro” e “Antologia Poética”. As obras que continuaram na lista foram:

  • A Cidade e as Serras, de Eça de Queirós;
  • Memórias de um Sargento de Milícias, de Manuel Antônio de Almeida;
  • O Cortiço, de Aluísio de Azevedo; e
  • Vidas Secas, de Graciliano Ramos.

 

 

Veja profissões promissoras para os próximos anos

Foto 2 de 11 – A engenharia biomédica é apontada pela Bureau of Labor Statistics como uma das profissões que vão estar em alta nos próximos anos, já que a demanda por inovações tecnológicas e medicamentos faz a indústria farmacêutica ter um crescimento explosivo Mais Foto: Carlos Cecconello/Folhapress Texto: Carla Hosoi

As informaçoes foram fornecidas pela instituiçao e podem ser alteradas por ela sem aviso prévio. É recomendável confirmar datas e horários no site oficial.