Universidades Holandesas oferecem vagas em mais de 1500 cursos ministrados em inglês

Publicado em 22/10/2012 às 15:36

As opções são para programas de ensino superior em todas as áreas de conhecimento e é possível se candidatar às bolsas de estudo oferecidas pelas instituições e pelo próprio governo. Palestra on-line nessa quarta-feira (24/10) apresentará os procedimentos para inscrição.

Estão abertas as inscrições para os programas de ensino superior das universidades holandesas. Ao todo, são mais de 1500 cursos, totalmente ministrados em inglês, entre opções de graduação, mestrado, MBA, doutorado e outras especializações. Para se candidatar, é preciso enviar até o final de janeiro os documentos para admissão, que são certificado de proficiência na língua inglesa e documentos que comprovem grau de escolaridade. Vale lembrar que os documentos devem apresentar tradução juramentada para o inglês.

Esses e outros procedimentos vão ser explicados na palestra online organizada pelo Nuffic Neso Brazil, fundação que representa o ensino superior holandês no Brasil. A apresentação é gratuita e acontece nesta quarta-feira (24/10/12). Para participar, basta acessar  http://www.ustream.tv/channel/nuffic-neso-brazil  a partir das 20hs. Os participantes terão ainda a oportunidade de conhecer melhor as oportunidades de bolsas de estudos e poderão fazer perguntas pelo chat a qualquer momento.

  • Encontre seu curso

Para candidatar-se a uma vaga, o estudante deve buscar o curso desejado no site da Neso Brazil e entrar em contato diretamente com a universidade do seu interesse. Se aprovado, a própria instituição se responsabiliza pelos trâmites do visto estudantil, o que facilita muito a vida do intercambista.

  • Bolsa de estudos

Ao todo, as universidades holandesas oferecem mais de 60 oportunidades de bolsas de estudo para brasileiros. Todas elas exigem bom desempenho acadêmico como principal requisito. Fora isso, existe o programa do Governo Holandês, a participação no projeto brasileiro Ciência sem Fronteiras e financiamentos globais, como Erasmus Mundus e Banco Mundial.

Bolsas Institucionais: A principal porta de entrada de Brasileiros no ensino superior holandês. As próprias universidades oferecem bolsas de estudo integrais ou parciais para estudantes com bom desempenho acadêmico. Ao todo são 63 ofertas de programas para brasileiros em todos os níveis e campos de estudo. No link www.nesobrazil.org/bolsas é possível fazer uma busca específica de acordo com a sua área de atuação e nível de graduação pretendido. Mesmo sem ter um programa de bolsas formalizado, as instituições Holandesas costumam oferecer bolsas de estudo para alunos de excelência. Para participar é importante deixar claro seu interesse já no primeiro contato.

Netherlands Fellowship Programme (NFP): Programa de Bolsas do Governo Holandês que visa capacitação profissional. O NFP concede bolsas de estudos para programas de mestrado, PhD e cursos de curta duração. Para se candidatar, o interessado deve estar empregado e escolher um curso que contribua para o desenvolvimento da organização em que ele trabalha. Acessehttp://www.nesobrazil.org/nfp para mais informações

Ciência sem Fronteiras: A Holanda participa do Ciência sem Fronteiras oferecendo vagas de graduação, Full doutorado, doutorado-sanduíche e pós-doutorado. O programa do governo brasileiro pretende enviar cem mil brasileiros para universidades em todo mundo até 2014. Os editais são abertos duas vezes ao ano e a próxima chamada acontecerá em novembro desse ano. Visite swbholland.org para conhecer os prazos e requisitos.

  • Custo de vida

Sem fins lucrativos e financiada pelo próprio governo, a Holanda oferece anuidades a partir de 4000 euros, bem mais em conta do que grande parte dos destinos tradicionais de estudo. Lembrando que brasileiros com cidadania europeia pagam apenas um valor fixo, que não ultrapassa 2 mil euros por ano. O país também leva vantagem quando levamos em consideração o custo de vida. “Se a hospedagem for em residência estudantil e o transporte uma bicicleta, com 700 euros passa-se bem o mês” , explica o publicitário Marcelo Chiminazzo, que fez uma especialização em marketing na Universidade Saxion de Ciências Aplicadas em 2010.

  • Terceiro melhor ensino superior do mundo

Com 11 das 14 universidades de pesquisa alocadas no top 200 do ranking das melhores universidades do planeta (sendo 7 delas no top 100), o país é considerado o segundo melhor sistema de ensino superior da Europa e o terceiro melhor do mundo pelo conceituado  Times Higher Education Ranking (2012).  Um resultado impressionante para um país com apenas 15 milhões de habitantes e uma área territorial menor que o estado do Rio de Janeiro.

Além da qualidade internacionalmente reconhecida e dos custos modestos, a Holanda aposta na interdisciplinaridade para atrair os estudantes brasileiros: “Os Países Baixos oferecem uma grande variedade de cursos e estimulam a conexão entre as diversas áreas de conhecimento. Isso leva o aluno a explorar outras abordagens complementares ao seu objeto de estudo, tornando-se assim melhor preparado para atuar em um mercado globalizado” afirma Remon Daniel Boef, diretor da Nuffic Neso Brasil.

Oportunidades de estudo e bolsas na Holanda – Web Palestra

Data: 24/10/2012

Horário: a partir das 20h

Local: www.ustream.tv/channel/nuffic-neso-brazil

Informações: info@nesobrazil.org

Estudo pelo mundo: Processo Seletivo 2011.2 – AIESEC

A AIESEC em Florianópolis abriu as inscrições para o Processo Seletivo 2011.2. A inscrição é feita no site www.aiesec.org.br/florianopolis até o dia 21/08.

A seleção é destinada para jovens interessados em desenvolver habilidades de gestão e liderança num ambiente global.
Interessados em saber mais, podem comparecer às palestras informativas, que têm duração de 30 a 40 minutos:
  • 12/08 – 17h30 – Auditório do CSE
  • 16/08 – 12h30 – Auditório do CSE
Não é necessário se inscrever para a palestra.
A AIESEC é hoje a maior organização estudantil do mundo, reconhecida pela ONU e pela UNESCO como tal, e desenvolve líderes culturalmente sensíveis e socialmente responsáveis. Está presente em 110 países e territórios e mais de 2000 universidades.

A organização promove também oportunidades de intercâmbios sociais e corporativos. Maiores informações: www.aiesec.org.br/florianopolis  ou florianopolis@aiesec.org.br


João Paulo de Moraes Paludo

Graduando em Engenharia de Controle e Automação – 8ª fase.
Universidade Federal de Santa Catarina.

Press Agent / Internal Comunication Member
Diretoria de Comunicação.
AIESEC- Florianópolis

Mobile: +55 (48)99564669

www.aiesec.org.br

Aulas virtuais com os professores do Colégio Energia

O site de aulas virtuais é uma iniciativa que dois professores conhecidos do Sistema Energia, Dani Boy e Zeca, professores de física e matemática, tiveram para divulgar suas aulas para alunos de todo Brasil. Com qualidade e descontração as suas aulas são uma garantia para quem as assistir, de aumentar e muito, suas chances de passar em vestibulares concorridos de universidades públicas. Confiram no link: http://www.avagaeminha.com.br/

ONU anuncia lançamento de universidade gratuita e online

Por: Redação da ONU-Brasil

A ONU está trabalhando para disseminar os benefícios da Tecnologia da Informação pelo mundo. A Aliança Global das Nações Unidas para Informação, Tecnologia da Comunicação e Desenvolvimento (GAID) acaba de anunciar o lançamento da Universidade do Povo, instituição sem fins lucrativos que vai oferecer educação online e gratuita.

De acordo com a agência, seu foco em 2009 são as metas para educação e como a Tecnologia da Informação pode ajudar o mundo a alcançá-las. O fundador da Universidade do Povo, Shai Reshef, lembrou que para milhares de pessoas em todo o planeta a educação superior não passa de um sonho. Eles são tolhidos por problemas financeiros, pela falta de instituições do gênero onde vivem — ou simplesmente não podem abandonar suas casas para freqüentar uma universidade, por motivos pessoais.

Reshef destacou que a Universidade abriu o caminho para essas pessoas continuarem seus estudos de casa. A instituição tem um custo mínimo, já que usa tecnologia de código aberto, materiais escolares compartilhados com poucas restrições de direito autoral, métodos de aprendizado pela internet e métodos de aula “p2p” (do inglês, peer-to-peer), ou seja, focados no compartilhamento. O processo de admissão foi aberto sem nenhuma divulgação há apenas duas semanas e, mesmo assim, 200 estudantes de 52 países já se candidataram.

Os estudantes serão alocados em classes de até vinte alunos. Depois disso, eles podem acessar aulas semanais, discutir os assuntos com seus colegas e fazer provas — tudo online. Há ainda professors voluntários, estudantes comuns e de pós-graduação que podem oferecer ajuda. O estudante só paga uma taxa de admissão — que vai de 15 a 50 dólares, dependendo de seu país de origem — e outra, que vai de dez a cem dólares, por cada prova. Para que a Universidade funcione, é preciso 15 mil alunos e seis milhões de dólares. Reshef já doou um milhão do próprio dinheiro.

Para saber mais sobre a Universidade do Povo, acesse o http://www.uopeople.org/