Piadinha para os Veterinários

Um Veterinário desceu aos portões do inferno e foi admitido….

Mal havia chegado, já estava insatisfeito com o baixo nível de higiene do inferno.
Logo começou a fazer projetos e várias ações para coibir aquele caos.
Pouco tempo depois já não havia no inferno o insuportável fedor,
ninguém melhor que ele sabia limpar uma sujeira do local e
banhar as pessoas, por mais sujas que essas estivessem..
Ninguém mais reclamava de dores de dente, pois ele tratou de retirar o tártaro de todos,
sem o mínimo nojo e, por conseguinte, estavam todos mais limpos e cheirosos.
O Veterinário era um cara muito popular por lá.
Um dia, Deus chamou o diabo ao telefone e perguntou, ironicamente:
-E então, como estão as coisas aí embaixo?
E o diabo respondeu:
-Uma maravilha! Agora aqui todos se beijam, sorriem uns aos outros,
não existem desdentados, as pessoas estão mais felizes…. se alimentando melhor…
cheirosas… isso sem falar no que o nosso Veterinário está planejando para breve!
Do outro lado da linha, surpreso, Deus exclamou:
-O quê!?! Vocês têm um Veterinário aí? Isso foi um engano!
Veterinários já sofrem demais e por conta disso nunca vão para o inferno.
Mande-o subir aqui, imediatamente!
O diabo respondeu:
-Sem possibilidade! Eu gostei de ter um veterinário para cuidar desses animais e continuarei mantendo-o aqui.
Deus, já mais irritado, fala em tom de ameaça:
-Mande-o para cá, agora, ou tomarei as MEDIDAS LEGAIS NECESSÁRIAS.
Eis que o diabo soltou uma gargalhada:
– Hahahaha…! E onde é que você vai arrumar UM ADVOGADO AI EM CIMA?
Enviado pela minha amiga veterinária Hellen Espíndola

Teste de Aptidão Vocacional

Instruções:
Coloque 400 tijolos em um quarto fechado, coloque os novos candidatos e feche a porta.

Deixe-os sozinhos por seis horas e analise a situação:

1 – Se eles estiverem contando os tijolos, contrate-os para a Contabilidade.
2-  Se eles estiverem recontando os tijolos, contrate-os para a Auditoria.
3 – Se eles tiverem bagunçado tudo e espalhado os tijolos, coloque-os na Engenharia.
4 – Se eles tiverem arrumado os tijolos de maneira bem estranha, coloque-os no Planejamento.
5 – Se eles  estiverem jogando tijolos uns nos outros, coloque-os em Operações.
6 – Se eles estiverem dormindo, coloque-os na Segurança.
7 – Se eles estiverem quebrando os tijolos em pedacinhos, coloque-os na Tecnologia da Informação.
8 – Se eles estiverem sentados sem fazer nada, coloque-os em Recursos Humanos.
9 – Se eles disserem que já tentaram várias combinações e estão ainda tentando outras mais,  e nenhum dos tijolos tiver saído do lugar, coloque-os em Vendas.
10- Se eles já tiverem saído, coloque-os em qualquer Secretaria de qualquer departamento.
11- Se eles estiverem olhando para a janela, coloque-os no Planejamento Estratégico.
12- Se eles estiverem conversando entre si, e nenhum dos tijolos tiver saído do lugar, dê-lhes um bônus e coloque-os na Diretoria.
13- Se eles tiverem criado um muro de tal forma que não possam ser vistos ou ouvidos, então coloque-os no Congresso.
14- E se ao abrir a porta eles disserem que não sabiam de nada, coloque-os diretamente no Gabinete da Presidência da República.

UMA HISTÓRIA COMOVENTE: O ADVOGADO JUDEU

Uma instituição de caridade nunca tinha recebido uma doação de um dos advogados mais ricos da cidade, um judeu.
O diretor da instituição decidiu ele mesmo ir falar com o advogado.

– Nossos registros mostram que o senhor ganha mais de R$ 3.000.000,00 por ano e mesmo assim nunca fez uma pequena doação para nossa caridade. O senhor gostaria de contribuir agora?

O advogado respondeu:

– A sua pesquisa apurou que minha mãe está muito doente e que as contas médicas são muito superiores à renda anual da aposentadoria dela?

– Ah, não – murmurou o diretor.

– Ou que meu irmão mais novo é cego e desempregado? Continuou o advogado.

O diretor nem se atreveu a abrir a boca.

– Ou que o marido da minha irmã morreu num acidente e a deixou sem um tostão e com cinco filhos menores para criar, sendo que um deles tem Down? Falou o advogado judeu já com ar de indignação.

O diretor já se sentindo humilhado disse:

– Eu não tinha a menor idéia de tudo isso…

– E a sua pesquisa apurou que meu pai é diabético, cardiopata e que está na cadeira de rodas há mais de dez anos?

– Não senhor …

– E foi, por acaso, verificado que eu tenho dois sobrinhos surdos-mudos? Perguntou o judeu.

Silêncio do diretor.

– Além de tudo isso – disse o advogado – vocês já sabem que meu irmão mais velho pediu falência e perdeu todos os seus bens?

– Não, absolutamente não, senhor! Respondeu o diretor totalmente envergonhado com o papelão que fazia.

– Pois então, disse o advogado, SE EU NÃO DOU UM TOSTÃO PARA ELES, POR QUE EU IRIA DAR PARA VOCÊS?

A importância do sincero “não sei”!

Se você ainda não sabe qual é a sua verdadeira vocação, imagine a seguinte cena:

Você está olhando pela janela, não há nada de especial no céu,  somente algumas nuvens aqui e ali. Aí chega alguém que também não tem nada para fazer e pergunta:

– Será que vai chover hoje?

– Se você responder “com certeza “… a sua área é Vendas:
– o pessoal de Vendas é o único que sempre tem certeza de tudo.

– Se a resposta for “sei lá, estou pensando em outra coisa”… então a sua aérea é  Marketing:
– o pessoal de Marketing está sempre pensando no que os outros não estão pensando.

– Se você responder “sim, há uma boa probabilidade”… você é da área de  Engenharia:
– o pessoal da Engenharia está sempre disposto a transformar o universo em números.

– Se a resposta for “depende”… você nasceu para Recursos  Humanos:
– uma área em que  qualquer fato sempre estará na dependência de outros fatos.

– Se você responder “ah, a meteorologia diz que não“… você é da área de  Contabilidade:
– o pessoal da Contabilidade sempre confia mais nos dados no que nos próprios olhos.

– Se a resposta for “sei lá, mas por via das dúvidas eu trouxe um  guarda-chuvas”:
– então seu lugar é na área Financeira que deve estar sempre bem preparada para qualquer virada de tempo.

Agora, se você responder “não sei”… há uma boa chance que você tenha uma  carreira de sucesso e acabe chegando a diretoria da empresa.


De cada 100 pessoas, só uma tem a coragem de responder “não sei” quando não sabe. Os outros 99 sempre acham que precisam ter uma resposta pronta, seja ela qual for, para qualquer situação.

“Não sei” é sempre uma resposta que economiza o tempo de todo mundo, e pré-dispõe os envolvidos a conseguir dados mais concretos antes de tomar uma decisão. Parece simples, mas responder “não sei” é uma das coisas mais difíceis de se aprender na vida  corporativa. Por quê?

Eu sinceramente “não sei”.

(por Antonio Ermírio de Moraes – Revista Exame)