Prêmios Santander Universidades abrem, hoje, 28 de maio, inscrições para edição 2012

  • Neste ano, a premiação ultrapassa R$ 1 milhão em prêmios.

 

  • Nova categoria “Jovem Empreendedor Comunitário” reconhecerá empreendedores de comunidades de baixa renda.

 

  • “Economia Criativa” também passa a fazer parte do Prêmio Santander de Empreendedorismo.

 

  • Os 12 finalistas das categorias do Prêmio Santander Ciência e Inovação receberão uma bolsa de mobilidade internacional Ibero-Americana no valor equivalente a 5.000 euros.

 

  • Premiação atinge toda a cadeia de valor de educação superior, já reconheceu 77 vencedores em 7 edições e distribuiu mais de R$ 3,9 milhões em prêmios.

 

  •  Desde 2005, o Santander Universidades registrou 18.946 projetos inscritos de estudantes, docentes, pesquisadores-doutores e instituições de ensino, de norte a sul do País.

 

São Paulo, 28 de maio de 2012A partir de hoje, 28 de maio, estão abertas as inscrições para a 8ª edição dos Prêmios Santander Universidades. Após distribuir mais de R$ 3,9 milhões em prêmios, a edição 2012 traz novidades. Uma nova categoria foi criada: dentre as categorias do Prêmio Santander de Empreendedorismo, que contemplam: Economia Criativa, Empresas de Base Tecnológica, Setores Tradicionais, Biotecnologia e Saúde, será reconhecido o Jovem Empreendedor Comunitário – autor do projeto da modalidade empreendedora, que seja universitário residente, ou que comprove ser oriundo de uma comunidade carente.

Outra novidade é que a categoria Economia Criativa passa a fazer parte do Prêmio Santander Empreendedorismo, que abrange temas ligados a empresas inovadoras que têm conhecimento, criatividade e inovação como principais ativos, tais como tecnologias da informação e comunicação.

Já os 12 finalistas do Prêmio Santander Ciência e Inovação (em todas as suas categorias) vão receber uma bolsa do programa de mobilidade internacional Ibero-Americana, no valor equivalente a 5.000 euros cada, para estudar durante um período de até 6 meses em um dos países participantes: Argentina, Chile, Colômbia, Espanha, México, Uruguai, Peru, Porto Rico e Portugal. A bolsa de estudo é destinada para cobrir todas as despesas com hospedagem, alimentação, transporte e outras necessidades durante o período de estudos. Com as novidades, o valor da premiação este ano, ultrapassa o valor de R$ 1 milhão. As inscrições devem ser feitas no site www.santander.com.br/universidades até 16 de setembro de 2012.

Idealizados especialmente para o meio acadêmico brasileiro, as premiações estimulam o empreendedorismo, a pesquisa científica, a extensão universitária e a busca pela excelência das universidades, sempre com foco no desenvolvimento sustentável. Desde que foi criado, em 2005, o concurso já recebeu 18.946 projetos e distribuiu mais de R$ 3,9 milhões em prêmios.

Para Jamil Hannouche, diretor geral do Santander Universidades Brasil, essas iniciativas ajudam a transferir conhecimento e tecnologia do campus para a sociedade. “É gratificante chegar à 8ª edição com números tão expressivos e projetos tão qualificados. Fazer parte da vida acadêmica do país continua sendo nosso permanente desafio, pois os Prêmios Santander Universidades consolidam-se como a maior premiação brasileira do gênero. O crescimento que conquistamos nos últimos anos é fruto do empenho e dedicação de todos os parceiros: Academia Brasileira de Ciências, Babson College, Editora Abril, Endeavor, Fundação Dom Cabral e Unisol”, afirma o executivo.

Além do total de mais de R$1 milhão em prêmios e bolsas de estudos internacionais, todos os inscritos, de todas as categorias, podem realizar um curso on-line exclusivo da Babson College, instituição norte-americana, referência mundial no assunto. O curso proporciona aos participantes uma formação básica, com certificação em empreendedorismo voltado à criação de novas empresas.

Os vencedores dos Prêmios Santander Universidades 2012 serão conhecidos no dia 26 de novembro, em cerimônia a ser realizada na sala São Paulo, na capital paulista.

 

Conheça as premiações – detalhes, regulamentos e inscrições: www.santander.com.br/universidades

 

Prêmio Santander Empreendedorismo

            O Prêmio Santander Empreendedorismo é destinado aos alunos de graduação e pós-graduação, e tem por objetivo apoiar e reconhecer a criação e o desenvolvimento de projetos de estudantes com perfil e postura empreendedora. São cinco categorias: Economia criativa; Empresas de base tecnológica; Setores tradicionais; Biotecnologia e Saúde e Jovem Empreendedor Comunitário. A premiação total é de R$ 250 mil, que representa R$ 50 mil por categoria, além de bolsas de estudos presenciais na Babson College para os líderes dos projetos vencedores e para o professor orientador. As bolsas incluem além do curso, a passagem aérea, hospedagem e alimentação, a serem utilizadas em 2013 ou conforme grade curricular da Babson College.

Os finalistas recebem feedback de seus projetos e uma capacitação para prepara-los para a banca de executivos de renome no Brasil onde terão a oportunidade de apresentar e vender suas ideias, com todas as despesas de deslocamento e estadia por conta da organização dos Prêmios. Além de ganharem o direito a licença por 6 meses do software MakeMoney, que ajuda a construir, gerenciar e orientar o processo de elaboração de Planos de Negócios, oferecido pelo Portal Santander Empreendedor (www.santander.com.br/empreendedor).

 

 

 

Prêmio Santander Ciência e Inovação

O Prêmio Santander Ciência e Inovação reconhece pesquisadores-doutores com pesquisas científicas de caráter inovador nas categorias: Indústria; Tecnologia Comunicação, da Informação e da Educação; Biotecnologia; e Saúde. Os 12 finalistas recebem uma bolsa Ibero-americana cada e o vencedor de cada categoria recebe o valor de R$50 mil, sem a obrigatoriedade de vincular o uso do prêmio à execução do projeto. É um reconhecimento à contribuição do cientista para o desenvolvimento da pesquisa brasileira. A avaliação e o julgamento dos projetos são realizados por uma comissão de pesquisadores ligados a instituições científicas, sob a coordenação da Academia Brasileira de Ciências (ABC), parceira do Santander Universidades.

 

Prêmio Santander Universidade Solidária

O Prêmio Santander Universidade Solidária , investe em projetos de extensão universitária com o tema “Desenvolvimento Sustentável com ênfase em geração de renda”, elaborados e executados por universidades, com a participação de professores, estudantes e a comunidade local.

Busca colocar conhecimento acadêmico à disposição das comunidades de baixa renda, contribuindo para a melhoria da qualidade vida e renda e para a formação cidadã do futuro profissional, a partir da troca de conhecimentos e do apoio à extensão universitária.

Cada um dos 8 projetos vencedores recebe o valor de R$50 mil, para implementação do projeto. Além do apoio financeiro, cada projeto recebe consultoria especializada da Unisol e da equipe técnica do Banco Santander, a fim de maximizar os resultados e promover o diálogo na busca das melhores soluções.

 

Prêmio Guia do Estudante – Destaques do Ano

Realizado em parceria com a Editora Abril, o Prêmio reconhece quatro instituições de ensino superior que se destacaram em 2011 com iniciativas da gestão das universidades para o desenvolvimento da educação do País, em busca de uma sociedade mais justa, equilibrada e sustentável. Neste ano as categorias são: Combate à evasão, Internacionalização, Sustentabilidade e Integração entre Pós e Graduação.

Todas as instituições de ensino superior reconhecidas pelo MEC podem participar respondendo ao questionário enviado pela Editora Abril.

 

 

Santander – Relações com a Imprensa

(11) 3553-7061/5157/5166/5244

Telefone de plantão (11) 9605-5987

e-mail: imprensa@santander.com.br / www.santander.com.br

twitter.com/santander_br / SAC 0800 762 7777 /Ouvidoria: 0800 726 0322 

 

Estudar em universidades renomadas faz a diferença?

Provavelmente você já escutou por aí que os alunos de instituições de ensino superior renomadas conseguirão um emprego mais facilmente do que os estudantes de faculdades menos conceituadas. Será mesmo?

Por Fábio Bandeira de Mello, http://www.administradores.com.br

Diferente de muitas pessoas que ficam com aquela dúvida sobre qual curso fazer, Tiago Vicari já sabe muito bem qual área vai seguir: Administração de Empresas. Apesar de ter 17 anos, ele já se imagina coordenando áreas, criando novas formas de pensamento para solucionar problemas, administrando bem as finanças e, claro, desfrutando de uma boa remuneração. Porém, se a indecisão não é na escolha do curso (comum a muitos jovens), o receio dele está em escolher onde estudar. “Minha dúvida é saber se compensa fazer o curso em faculdades menos famosas e se o mercado valoriza essas instituições”, comenta.

E o tema se tornou debate onde estuda. “Na verdade, o que faz com que eu pense nisso é a forma como minha escola nos orienta sobre o assunto. Segundo vários professores e as pessoas que trabalham lá, as melhores oportunidades surgem quando se tem uma universidade ‘com nome’ no currículo”, declara Tiago.

A preocupação dele não surgiu à toa. Muito se diz sobre o peso do “nome da universidade” no currículo dos profissionais, mas você saberia dizer o que há de realidade sobre o tema? Até que ponto o nome da instituição de ensino pode influenciar a escolha dos recrutadores em uma entrevista?

Imagem: Thinkstock


Verdades e mentiras

Entrar e concluir uma formação profissional numa instituição de ensino superior no Brasil, de fato, não é para todos. Segundo o último levantamento da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), apenas 11% da população brasileira com idade entre 25 e 64 anos têm ensino superior. O número, aliás, nos deixa no último lugar em um grupo de 36 países ao avaliar a quantidade de graduados na população. E quando se trata das universidades mais conceituadas, esse número de pessoas que consegue o diploma é ainda menor.

O gestor de carreira da RH Capital, Sidney Alves, revela que o nome da universidade influencia sim e, em alguns casos, é determinante na decisão dos recrutadores em uma entrevista de emprego. “O ingresso em uma universidade renomada exige um esforço maior para passar no vestibular devido à maior dificuldade no teste. Além disso, o grau de exigência dessas instituições é geralmente alto durante a graduação”, explica Sidney.

Quando se trata de candidatos recém-formados ou ainda estudantes, o peso dessa escolha é mais acentuado. Jussara Dutra, gerente de Desenvolvimento Humano e Organizacional da Senior, explica que o tipo de vaga interfere. “Por exemplo, em programas de estágio e trainee, nos quais há pouca experiência profissional e a concorrência é muito acirrada, a formação em uma universidade de renome pode fazer a diferença, principalmente no que diz respeito a áreas técnicas”, revela a consultora.

Mas você saberia identificar uma “universidade de renome”? Uma das formas é conferir a avaliação do Ministério da Educação sobre a instituição. Para isso, existe o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), que é formado por três componentes principais: a avaliação das instituições, dos cursos e do desempenho dos estudantes. Além disso, é possível encontrar ajuda em revistas e jornais especializados que produzem rankings de qualidade e através de contato com pessoas que já passaram pelas instituições.

Diferencial passageiro

Mas quem acha que apenas estudar em uma universidade renomada será sempre um diferencial para concorrer no mercado está profundamente enganado. Especialistas em recursos humanos são unânimes ao afirmarem que, quando a vaga requer uma experiência específica, a maturidade profissional anterior conta mais na hora da escolha dos candidatos.

“Existe um consenso de que após cinco anos da formatura a experiência importa mais do que o nome da universidade. Mesmo que a instituição seja importante, a bagagem profissional do candidato vai influenciar mais na sua atuação. O perfil do candidato, outros conhecimentos e suas competências se tornam mais fundamentais”, declara Sidney Alvez.

Para Luiz Edmundo Rosa, diretor nacional de educação da ABRH Nacional, com o tempo, nada substitui a prática do dia a dia e o perfil de competências que o profissional adquire. “Cada vez mais se reconhece que o importante na seleção de um candidato a emprego é medir suas competências, incluindo seus conhecimentos e potencial. Tudo aquilo que evidencie na pessoa seus valores, determinação, iniciativa, capacidade de inovar e de empreender”.

Outros valores

Na busca de um “lugar ao sol” no mercado, outro fator que colabora na conquista para uma vaga é o constante aprimoramento. “O mercado muda muito e requer um profissional atualizado e com a qualificação que o cargo exige. Para isso, pode ser considerado um diferencial o domínio de outros idiomas, fazer uma pós-graduação ou MBA, participar de eventos e atuar em associações e cursos de curta duração com foco específico”, declara Jussara.

Mas para aqueles que ainda não possuem um currículo diferenciado e querem conquistar uma oportunidade, Luiz Edmundo revela uma dica: “conta muito o nível de preparação para a entrevista, em que a pessoa estudou bem a empresa, conhecendo sua estratégia, planos de investimentos, produtos, concorrentes, etc. Hoje essas informações estão disponíveis na internet e é só pesquisar”.

Portanto, independente de você possuir um bom currículo ou um ainda não tão bom assim, demonstrar sempre determinação, vontade e personalidade nas tarefas exigidas são trunfos para te ajudar a ter mais sucesso no presente e no futuro da sua carreira.
Curta o Administradores no Facebook e siga os nossos posts no @admnews.